• amo medicina
  • Posts
  • inteligência artificial no ensaio clínico 🤖

inteligência artificial no ensaio clínico 🤖

quando você pensa em inteligência artificial (IA), pode pensar nas máquinas que dominam o mundo em Matrix e usam um jovem e arrojado Keanu Reeves como bateria. 🤣

não estamos aqui para avaliar a probabilidade de um futuro apocalipse de robôs de IA versus humanos. mas uma coisa que sabemos é que, quando se trata de ensaios clínicos, a IA tem muito potencial.

os ensaios clínicos são extremamente caros, custando, em média, de US$ 700 milhões a US$ 1 bilhão, de acordo com Stefan Harrer, diretor de inovação do Digital Health Cooperative Research Centre, um fundo de investimento e incubadora australiano.

o recrutamento de pacientes representa 32%, ou US$ 224 milhões a US$ 320 milhões, desse custo, de acordo com um resumo do Deloitte Center for Health Solutions. no entanto, muito desse dinheiro acaba no vaso sanitário (metafórico), já que apenas 10% dos testes de drogas terminam com uma aprovação, segundo a Deloitte.

um bom dinheiro: além da grande parte do valor que vai para a fase de recrutamento, existem custos de marketing, para que sejam atraídos participantes para o teste. além disso, um time de cientistas precisa examinar os participantes para garantir que eles se encaixem nas qualificações do estudo.

🧠 habilitando a IA: a IA pode facilitar a identificação de pacientes que atendem às qualificações para um teste, principalmente classificando enormes quantidades de dados que nenhum ser humano seria capaz de examinar por conta própria, de acordo com Arun Bhatt, pesquisador clínico independente e consultor de desenvolvimento de medicamentos.

os ensaios clínicos geralmente procuram participantes usando registros eletrônicos de saúde (EHR) para ver quem se encaixa nas qualificações. se um sistema de saúde tiver um banco de dados EHR de 100.000 pacientes, levaria muito tempo para classificar todos eles manualmente. a IA pode identificar rapidamente quem é elegível para um teste.

na prática, ainda não há muitos ensaios clínicos usando IA, pelo menos não para recrutamento. foi estimado que apenas 10% a 15% dos ensaios usam IA para recrutamento.

de acordo com especialistas, uma razão pela qual a IA pode não ser usada tanto quanto poderia é a falta de confiança.

“Existem dúvidas sobre quanta confiança podemos depositar hoje nessa tecnologia”, disse Bhatt. “É preciso colocar um pouco de fé na tecnologia para ver o que acontece.”

Join the conversation

or to participate.